fbpx

Oito dicas sobre guarda-corpos de vidro

Planicidade dos vidros e sobreposição correta dos furos são alguns cuidados necessários

  Montar guarda-corpos de vidro é uma atividade lucrativa para as vidraçarias. Porém, não é um produto fácil de ser montado. Existem diversas situações que complicam a instalação e, por ser um produto que precisa garantir a segurança dos usuários, não existe espaço para erros. A seguir, oito dicas para a instalação desse produto.

1- Identifique corretamente o pedido do cliente.

Se o cliente quer uma barreira de passagem instalada no térreo ou para evitar alturas inferiores a um metro de altura a versão mais econômica é a montagem de uma barreira montada com colunas e vidro temperado 10 mm. Porém, se tal barreira serve para evitar quedas de altura superior a um metro, as normas determinam que essa barreira seja identificada como guarda-corpo. E, como tal, deve ser montada seguindo as normas técnicas da ABNT.

2- Avalie o substrato e o tipo de fixação

No momento do orçamento avalie onde será fixado o guarda-corpo. Se o substrato não for o concreto será preciso recorrer a chumbadores especiais de aço inox, a fixadores químicos, ou a junção de ambos.

3- Em guarda-corpos, somente laminados e aramados

Os únicos vidros que podem entrar na composição de guarda-corpos envidraçados são os vidros laminados e os aramados. Porém, se o vidro ao invés de encaixilhado em três ou quatro cantos for fixado por parafusos, deve ser composto por laminado de temperados, que, na verdade, pode ser classificado como uma versão sofisticada do vidro laminado.

4- Produza moldes de madeira.

É recomendável a quem faz a instalação de guarda-corpos de vidro laminado de temperados que faça toda a montagem no local utilizando, a princípio, moldes de madeira ao invés de vidro. A dica, quando o espaço já estiver sendo utilizado, é montar dois moldes para cada vão entre colunas. Um dos moldes pode ficar no local cumprindo a função provisória na proteção de quedas enquanto o outro segue para ser produzido no laminador-temperador de vidros.

5- Planicidade e exatidão das medidas dos laminados de temperados

Esse tipo de medida não permite variação de medidas nem ondulações ou empenamentos no vidro. A Garante Vidros é uma das poucas transformadoras brasileiras capazes de realizar esse tipo de serviço com a exatidão que ele exige.

6- Exatidão na posição dos furos

Uma das principais causas de quebras de vidros laminados de temperados após a instalação acontece nos furos. A produção desse tipo de vidro dotado de furos exige procedimentos que evitem que uma das chapas se destaque e reduza o orifício da furação. Quando isso acontece o isolamento do vidro do parafuso não é feito adequadamente, a chapa de vidro protuberante acaba entrando em atrito com o vidro e a quebra ocorre a partir dessa furação. A Garante Vidros dedica especial atenção a esse detalhe.
Quando um vidro laminado é produzido, o fabricante pode não se atentar para a necessidade de alinhar os furos, deixando uma espécie de degrau justamente no ponto que deverá entrar em contato com o parafuso. Esse é um ponto vulnerável. Veja na imagem que o parafuso toca só em um dos dois vidros laminados, desequilibrando a carga total. Portanto, é importante que os furos estejam o mais alinhado possível para evitar quebras na borda interna do vidro.

7- Parafusos ou chumbadores espessos

Para melhorar o tempo de instalação e economizar dinheiro, vemos em muitas obras que alguns instaladores utilizam parafusos estreitos demais (finos demais); deixam sobrar espaço entre a fixação e o vidro.
Estudos de universidades apontam que as tensões superficiais dos furos podem ser diminuídas se tiver todo o furo preenchido. Por vezes os instaladores não entendem por que as fissuras surgem horizontalmente ao furo. A explicação de um dos estudos indica que, com sobrepeso concentrado em um ponto estreito de parafuso, os furos tentem a ficar oblongados; como o vidro não estica, normalmente as fissuras são laterais – daí a importância de ter um parafuso adequado, assim como utilizar material apropriado que separe o vidro do parafuso, conforme mostra o desenho.

8- Sustentação independente de cada peça

Uma questão frequente nos guarda-corpos de escadas de vidro acontece quando é sempre posto o primeiro vidro inferior e o instalador vai subindo as instalações, com cada vidro apoiando no vidro abaixo. Se existir uma forma de se distribuir os pesos dos vidros evita-se uma força imensa nos furos; daí existe uma frequência imensa de quebra nas instalações nos vidros inferiores.
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp